Notícias

XLG Entrevista: JonY BoY, do Miami Flamingos de CS:GO

Por: Luis River Mello - Gamehall - 11/01/2017 11:41:26
XLG Entrevista: JonY BoY, do Miami Flamingos de CS:GO

Conversamos com Jonathan Muñoz, o JonY BoY, capitão do time argentino que defende o norte-americano Miami Flamingos, de CS:GO. Ele e seus companheiros conseguiram o visto de atleta para os Estados Unidos e disputarão campeonatos ao longo deste ano, buscando seguir os passos dos brasileiros que se tornaram grandes sucessos lá fora. Carismático, JonY BoY respondeu sobre os tempos em que defendeu o 2Kill Gaming, disputando nossas ligas da XLG. Ele ressalta aprendizado no tempo em que ficou no Brasil, mas nem tudo eram flores.

Confiram a seguir a entrevista completa com a estrela argentina de um dos e-Sports que mais crescem no planeta!


River: Você jogou no Brasil um tempo, mas acabou não dando tão certo assim. Agora que está fora de nosso país, quais são os pontos positivos e negativos que viu por aqui?

JonY BoY: Em relação ao CS:GO, aprendi muito a pegar mais informação e jogar mais calmo, também aprendi a ler melhor a galera do Brasil. E agora quando jogo com meninos da Argentina, muitas vezes penso que eles vão jogar parecido com vocês e isso não acontece, o jogo é mais simples, é só dar bala.

River: Como foi o pensamento de jogar nos Estados Unidos? A ideia partiu de vocês ou da organização?

JonY BoY: Meu sonho sempre foi morar nos EUA pra jogar os melhores torneios e mais. Mas desta vez o coach Lucas Noya me contactou, e ele me deu a oportunidade de montar a equipe.

River: Qual a expectativa em jogar contra os melhores o mundo?

JonY BoY: É de aprender rápido com eles, algo de 3, 4 meses de só jogar, poder dar combate às equipes do EUA primeiro. Eu acho que com muito esforço e dedicação tudo é possível

River: Certo! Agora uma pergunta um pouco mais forte. Vocês não tiveram um bom desempenho no Brasil. Qual a diferença deste time para o que defendeu o 2Kill no ano passado?

JonY BoY: Primeiro a experiência, depois as condições não eram as melhores na casa, a equipe e a convivência era difícil, mas Guishorro e eu aprendemos muito e está tudo certo agora.

River: Tem algum time ou jogador que você esteja ansioso em enfrentar? Já estão inscritos em algum torneio ou liga?

JonY BoY: Não, ainda não. Agora, quando eu viajar pra os EUA, a farei isso o mais cedo possível. Gostaria do jogar contra Optic, SK, e LG. Vamos jogar ESEA, CEVO e todos os qualifiers possíveis.

River: Em quanto tempo você acredita que poderemos ver o seu nome, pelo Miami Flamingos ou por algum outro time, disputando um major?

JonY BoY: Isso não sei, manito, mas é meu sonho, espero que em breve! Até o fim do ano seria legal!

River: O que você acha dessa migração BR e agora argentina para o NA?

JonY BoY: Essa é uma boa oportunidade para o cenário latino-americano continuar a crescer.

River: Como foi o apoio da torcida BR quando você estava no 2Kill e no INTZ?

JonY BoY: O apoio da galera e dos jogadores é muito bom, me sinto como se estivesse em minha casa e eu gosto disso.

River: Um recado para os seus fãs, para encerrarmos?

JonY BoY: Lutem por aquilo que amam, não importa a dificuldade, alcancem os seus objetivos. Obrigado a todos e tmj.

River: Obrigado pela entrevista! Boa sorte!


Movimento de imigração dos jogadores argentinos do Miami Flamingos acompanha transição que para nós, brasileiros, está ficando cada vez mais normal após o início do movimento por antigo Luminosity Gaming/SK, Immortalals, atual LG e paiN Gaming. Quando um time se destaca muito em nosso país, ele acaba sendo contratado por uma organização estrangeira, principalmente dos Estados Unidos. Outros times vão por conta própria - o que realmente importa é ir. Jogar nos EUA é a porta de entrada para competir em torneios internacionais de escala global, então é natural que JonY BoY e seus companheiros desejem jogar lá.

Em nome da equipe XLG, este que vos escreve reitera o desejo de boa sorte aos nossos hermanos do Miami Flamingos. Que vocês mostrem a força do povo latino-americano nos EUA!