Notícias

A Team One tem condições de vencer a Cloud9?

Por: Vitor Ventura - GameHall - 19/09/2017 04:21:01
A Team One tem condições de vencer a Cloud9?

Falta menos de uma semana para o início do Mundial de League of Legends, os grupos já estão montados e a ansiedade e o hype tomam conta do cenário internacional. Aqui no Brasil muito se falou das provocações no Twitter, entre o midlaner da Cloud9, Jensen, com os jogadores brasileiros 4Lan e Redbert. Com o anúncio do calendário de jogos, logo de cara eles irão se enfrentar, apimentando ainda mais esse confronto. Mas, afinal, a Team One pode vencer um dos times mais tradicionais dos Estados Unidos?

 

TEAM ONE: LATE GAME E ROTAÇÕES

É impossível não pensar em Late Game quando o assunto é Team One, principalmente depois das vitórias contra Red Canids e Pain Gaming. Mas não precisa ser grande entendedor do jogo para saber que a vice-campeã também foca nos momentos mais tardios das partidas. Mas então, qual seria o diferencial da equipe de 4Lan e cia? Rotação de mapa, principalmente no early-mid game. Mesmo o jogo que perderam na Final, pôde se ver as inversões de Absolut, RedBert e VVvert, e as “estranhas” porém eficazes rotações que resultaram em pressão em duas ou até três rotas ao mesmo tempo.

Há de se destacar também os campeões-chave dos Golden Boys, como Tristana, Cassiopeia e Sejuani. Dos três, somente a campeã favorita de Marf não é uma prioridade do meta, e por essas e outras, ela merece uma atenção especial. O pick de Cassiopeia, se não for bem estudado pela Cloud 9, pode ser uma arma mortal a favor do time brasileiro, como o próprio Marf já disse “eu não aguento mais jogar de Cassiopeia, mas se deixarem open eu vou pegar”.

 

CLOUD 9: TEAM FIGHTS E RECURSOS PARA OS CARRYS

Cloud 9

Enquanto a Team One roda mais o mapa e distribui os recursos entre VVvert, Marf/Brucer e Absolut, os americanos preferem dar os recursos da partida mais para Sneaky e Jensen, que assim como Marf, gosta de campeões ofensivos, como Oriana e Corki. Ele também jogou de Cassiopeia na Final Regional, e apesar de ter jogado bem, não foi algo espetacular.

Quando se assiste aos jogos da Cloud9 você vê ganks que rendem abates para Jensen e Sneaky, porém, as team fights 5v5 demoram a acontecer, normalmente a equipe americana prefere pick-offs e conseguir objetivos a partir desses abates isolados. Ponto no qual a Team One deve se precaver, sempre deixando a jungle inimiga bem wardada para evitar surpresas. Além do midlaner, os Golden Boys devem prestar atenção em Sneaky, que carregou a C9 nas dinais regionais, jogando sempre com Tristana ou Xayah, ambos os atiradores mais fortes do meta atual, e ainda mais fortalecidos com o Turíbulo Ardente. O atirador americano é o maior causador de dano de sua equipe, ou seja, não será nas lutas que a Team One terá seu diferencial, e sim, como já dito, nas decisões e rotações. Pode se dizer a grosso modo que os jogadores da Cloud 9 são mais sistêmicos, por isso atuam melhor em time, porém os da Team One são mais criativos, e mesmo também tendo lutas muito bem encaixadas, as decisões são normalmente bem feitas.

 

NO MAIS…

As equipes são similares nos picks da Selva, com Sejuani e Rek Sai, claro que ainda podemos ver as escolhas características de 4Lan, além da própria Rek Sai, o seu Olaf. Ambas também têm em comum essa preferência pelo late game, porém, como dito, se bem executada, as rotações da Team One são superiores e podem ser a chave para a vitória. Os dois executam muito bem também as suas lutas depois dos 25 minutos. O que se pode prever, em teoria, é um early-game passivo de ambos, porém, algo que a One tem que não pode ser estudado: o elemento surpresa. De certo tudo o que foi dito aqui é sabido de cor e salteado pelo staff e pelos jogadores da TOne, o que indica que eles têm tudo nas mãos para fazer algo totalmente inesperado, o famoso “meter o louco” como gosta de dizer 4Lan. O que podemos ter certeza, é da torcida pela equipe brasileira, e jogos muito emocionantes, como vimos na Final do CBLoL e também nas semis contra a Red Canids. Agora só nos resta esperar e torcer por uma boa campanha brasileira neste Mundial.