Notícias

Multa de trk e jovens talentos vira debate e Kakavel fala sobre o assunto

Por: Jairo Foxer Junior - Gamehall - 15/07/2018 11:17:13
Multa de trk e jovens talentos vira debate e Kakavel fala sobre o assunto

(Fotos: @saaymon - Agência X5)

A recente mudança do Made in Brazil tem dado o que falar. A equipe, que também carrega consigo o nome do nosso país, trocou um jogador brasileiro (Ricardo "boltz" Prass) por um americano (Tarik "tarik" Celik), que chegou para ser o segundo estrangeiro da lineup composta por cinco atletas (LINK). Desta forma, a escalação passa a ser "apenas" 60% nacional.

No meio de tantos questionamentos do porquê de mais um player internacional ter sido a opção de Gabriel "FalleN" Toledo e companhia, um deles, Já pararam para pensar que talvez jogadores brasileiros de destaque, estejam custando algo fora da realidade e por isso o @mibr está optando por gringo?

— TEAMPLAY (@TeamPlay) 15 de julho de 2018 ">feito pelo portal Teamplay, chamou atenção: "Já pararam para pensar que talvez jogadores brasileiros de destaque estejam custando algo fora da realidade e por isso o mibr está optando por gringo?".

A discussão se estendeu ainda mais quando o manager do próprio MiBR, Ricardo "dead" Sinigaglia, disse o seguinte na postagem: "existe player brasileiro que acabou de aparecer custando de 300k [300 mil] a 1kk [1 milhão] (de Dólares)". Outro integrante do Made in Brazil que também falou acerca do assunto, mas completamente fora do contexto da pergunta feita pela Teamplay, foi Fernando "Fer" Alvarenga, que disse em sua livestream que eles chegaram a pensar em Alencar "trk" Rossato para a equipe, mas que este estava custando algo em torno de 950 mil Dólares e, por isso, as negociações não foram para frente. A informação, é claro, assustou a todos, principalmente quando o atual melhor do mundo, Oleksandr "s1mple" Kostyliev, foi cotado em 500 mil Dólares, ou seja, a metade do que é pedidos pelos brasileiros (que não tiveram nomes expostos) referidos por dead.

O foco do questionamento em si não era exatamente em cima do Golden Boy, e sim de promessas que já valem valores milionários de um modo geral. Entretanto, Como trk foi citado por fer e também teve seu nome envolvido no mesmo assunto quando a Immortals o procurou e bateu de frente com seu alto valor, conversamos com o dono da Team One, Alexandre "kakavel" Peres, que nos explicou um pouco sobre como os contratos são feitos, os tais valores são estipulados por eles e mais.

Na foto, trk está em destaque e Kakavel está ao fundo, sempre acompanhando sua equipe de perto.

No início da nossa entrevista, Kakavel nos explicou que os contratos são feitos principalmente com base na lei que vigora no Brasil, chamada de "Lei Pelé", que permite o clube cobrar uma multa de até 2.000 vezes o salário do atleta, para que outro time o tire do clube atual. Mas no caso da organização dourada, eles costumam trabalhar mais com o custo deste atleta a empresa. Quanto aos valores informados por outras pessoas, o CEO afirma desconhecer e diz categoricamente que todos não são verídicos.

"Na verdade os contratos dos atletas são com base na Lei Pelé, e infelizmente no Brasil é obrigado você ter uma multa no mesmo (O que não se repete em todos os países), se não me engano a lei permite que você coloque no contrato até 2.000 vezes o valor salarial do atleta como multa rescisória, a mesma serve para blindar o clube e o atleta, e dessa forma é possível fazer uma programação a longo prazo e trabalhar o que deve ser trabalhado na montagem e formatação das equipes. Nós da Team One temos como praxe trabalhar as multas como 10x o valor do contrato, dessa forma temos a segurança que o jogador não vai abandonar o projeto no meio, e o atleta também tem a segurança que pode fazer compromissos de mudança, projetos futuros para família etc. Sobre os valores citados eu prefiro não comentar, pois foram soltos de maneira leviana e irresponsável e todos os citados hoje seja no CS, LOL ou R6 não são verídicos, informar o mesmo quebraria uma parte de intimidade dos atletas em relação a sua remuneração.", explicou Kakavel.

Falando das propostas que chegaram até a mesa de Kakavel, ele nos contou que trk chegou a ser sondado pela Immortals, mas que ainda assim não recebeu nenhuma proposta formal pelo jogador até hoje. O único que realmente despertou interesse a ponto de outro clube fazer investidas foi Pedro "maluk3" Campos.

"Oferta em jogadores da nossa equipe de CS tivemos apenas uma até hoje que foi da Immortals no Maluk3, e sondaram na negociação levar o TRK também. Porém após nosso bom resultado da WESG, fomos procurados para saber a atual situação contratual do TRK, e estávamos exatamente no mês da nossa mudança para os EUA, e nossa resposta foi clara que não tinhamos interesse em venda, depois disso nenhuma aproximação formal ou concreta foi feita por essas equipes.", contou Kakavel.

Para muitos pode não parecer, mas para uma empresa séria que realmente tem todo um projeto por trás, perder um jogador pode mudar muita coisa. Até mesmo tudo. Kakavel é claro, nos falou um pouquinho mais sobre isso com todo seu conhecimento de causa.

"A troca de um jogador é sempre muito impactante para um time, pois uma única peça faz bastante diferença na convivência, treinamentos e jogos. Temos como objetivo na Team one trabalhar projetos a longo prazos e de forma sólida. Nosso projeto atingiu um patamar grande muito rápido, e fechamos o maior patrocínio da America Latina esse ano, naquele momento perder uma peça do elenco era retroceder e talvez matar o projeto antes mesmo dele começar, e não cumprir com acordos comerciais alinhados com os patrocinadores."

Assim como as demais organizações no mercado, a Team One também pode ficar do outro lado da moeda, se deparando com preços que valem ou não a pena para eles. Quem acompanha a equipe deve lembrar quando eles apostaram em um "atleta da base" para compor seu elenco, mas que acabou não dando tão certo quanto eles gostariam. Com isso, a T1 foi obrigada a ir até o mercado e procurar as melhores opções para seu elenco e o dinheiro em caixa. Na ocasião, Nicolas "NikoM" Miozzi foi contratado junto a Isurus Gaming, por um custo não divulgado (LINK). Quanto a esta questão, Kakavel também nos contou um pouco como a Team One lidou com toda esta história.

"A Team One é uma empresa em formação, com poder de aquisição bem inferior as maiores organizações do mundo, e praticamente toda nossa equipe é formada por jogadores que estão a bastante tempo com a gente, ou começaram no CS:GO conosco. Recentemente na necessidade de aquisição de um novo jogador, foi necessário agregar um talento da base a  equipe até conseguir um negócio interessante com as peças que haviam disponíveis no mercado, pois nosso orçamento era para a implementação do projeto nos EUA e não havia verba para contratações, logo todos os atletas que estavam com contratos com sua equipe não eram do nosso interesse, mesmo assim foi necessário fazer o pagamento do buyout para contratação do NikoM em uma negociação bem tranquila e benéfica tanto para Isurus, quanto para Team One. No mercado de Lol os buyouts estão um pouco mais aquecido, pois existe um giro maior de jogadores."

Kakavel na Max5 Cup 2017.

Antes de encerramos nossa conversa, Kakavel deu seu parecer geral sobre tudo o que falamos até aqui, além de agradecer nossa equipe pelo contato e se disponibilizar a esclarecer outras dúvidas futuras que aparecerem da nossa parte ou da própria comunidade.

"Eu gostaria de agradecer por nos procurar para esclarecer as dúvidas, a Team One quer ser o mais transparente possível para que o mercado entenda como as coisas funcionam e nos apoiem na nossa luta de ter o Brasil entre os grandes. A mudança de uma equipe para os EUA não é uma coisa pequena e fácil de se tornar realidade, é a busca pela internacionalização de uma marca brasileira e esse foi apenas o primeiro passo. Esse objetivo só será possível através de captação de verbas. Inicialmente conseguimos o maior patrocínio da América Latina com a Alienware para tirar o projeto do papel, e para manter e conquistar investimentos maiores é preciso de solidez e segurança, perder atletas já no primeiro estágio seria andar para trás. É importante nesse momento mostrar profissionalismo e seriedade para possíveis investidores, sabemos que hoje somos menores que as grandes equipes como SK, LG, MIBR, porém somos a primeira empresa brasileira, a tentar esse caminho. Estamos em busca de ter a nossa marca um dia tão forte ou até maior que essas outras, e nesse caminho pretendemos com nossa metodologia de trabalho levar os atletas da américa Latina (Não tenho dúvidas que brasil é um dos maiores celeiros de atletas do mundo) a concorrer em igualdade com essas outras equipes. Começar essa nova etapa com a equipe de CS:GO tem sido bastante positivo, apesar das dificuldades que enfrentamos nesses primeiros meses. Porém estamos em busca de nossos objetivos, e o foco é estar no tempo máximo de  2 anos disputando as grandes ligas (ESL, ECS) e nos consolidar como uma equipe com nível para disputar os próximos majors, a manutenção de TRK, Maluk3 e cia com certeza nos aproxima desses objetivos. Já temos as próximas etapas dessa internacionalização envolvendo as outras equipes planejadas mas é um papo para outra hora.

Mais uma vez obrigado pelo espaço e podem sempre contar conosco da Team one para esclarecer o que for necessário.", finalizou Kakavel.